No announcement available or all announcement expired.

Bem-vindos

Programa de promoção da saúde mental para capacitação e redução das desigualdades em trabalhadores temporários e desempregados – Emprego Saudável/ ES

Programa Iniciativas de Saúde Pública (PT06 – EEA FM)

Área II: Melhoria de serviços de saúde mental

Subárea b): Promoção da saúde mental nos locais de trabalho e nos grupos mais afetados pela crise económica

Este projeto enquadra-se no Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu das European Economic Area Grants (EEA Grants) (2009-2014)

Ponto Focal Nacional: Unidade Nacional de Gestão (UNG), Ministério do Ambiente, Portugal

Operador do Programa: Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), Ministério da Saúde, Portugal

Promotor do Projeto: Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), Portugal / Instituto de Saúde Ambiental (ISAMB) e Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pública (IMP&SP)

O Plano Nacional de Saúde 2012-2016 reforça a importância da implementação de projetos específicos destinados a ganhos em saúde e à redução das desigualdades em saúde. Adicionalmente, o Programa Nacional de Saúde Ocupacional (PNSOC) e o Plano Nacional de Saúde Mental (PNSM) preconizam alguns objetivos deste projeto, incluindo a articulação intersetorial e a promoção de equidade e acesso aos cuidados de saúde mental.

O projeto EMPREGO SAUDÁVEL visa reduzir desigualdades de saúde mental relacionadas com a instabilidade laboral e a crise económica, quer a nível local e regional, quer a nível nacional. No sentido de promover a saúde mental e prevenir a doença mental no âmbito do trabalho temporário e no contexto de desemprego, estão a ser preparadas intervenções dirigidas a pessoas em situação de desemprego, trabalhadores temporários de agência e profissionais das agências de trabalho temporário e do IEFP que lidam com estas populações.

Pretende-se com este projeto desenvolver e implementar uma intervenção com eventual impacto na redução das desigualdades através da promoção da saúde mental positiva dos trabalhadores temporários e pessoas em situação de desemprego. Paralelamente, pretende-se capacitar os profissionais que trabalham diretamente com estas populações e contribuir, inclusivamente, para a capacitação dos profissionais de diferentes setores dentro e fora da saúde, em promoção da saúde mental e prevenção da doença mental no local de trabalho e em contexto de desemprego; definir indicadores de impacto dos determinantes na saúde mental, de modo a informar a decisão política, na perspetiva da saúde mental em todas as políticas; melhorar a articulação entre os diferentes stakeholders (nomeadamente, autarquias, agências públicas ou privadas de emprego, centros de emprego, empresas, serviços de segurança social, administrações regionais de saúde, cuidados de saúde primários, serviços locais de saúde mental) envolvidos no apoio aos grupos mais vulneráveis (trabalhadores temporários de agência, desempregados).

Adicionalmente, espera-se desenvolver a partilha e troca de experiências, de boas práticas e conhecimento ao nível local, regional, nacional e internacional aproveitando para fortalecer a colaboração bilateral e os laços entre Portugal e os Estados Doadores (Noruega, Islândia e Liechtenstein).

Inserindo-se numa abordagem de saúde mental em todas as políticas, irá ser estabelecida uma rede sustentável de modo a permitir alcançar resultados tangíveis.